Últimas resenhas

literatura category image resenhas category image

Resenha: Herdeira do fogo

15 maio 2019

Olá tripulantes, tudo bem?
Temos mais resenhas saindo do forno! rs.

Então, dando sequência na #SemanaTronoDeVidro, temos a resenha de Herdeira do fogo, o terceiro livro da série da rainha Sarah J. Maas. ♥

Título: Herdeira do fogo (#03)
Autora: Sarah J. Maas

 
 


Sinopse:

Celaena ressurge das cinzas ainda mais forte e letal. E parte em uma jornada em busca de uma obscura verdade: uma informação sobre sua herança e seus antepassados que pode mudar sua vida e o futuro de dois reinos para sempre. Enquanto isso, forças sinistras começam a despontar no horizonte e têm planos malignos para dominar o seu mundo. Agora, depende de Celaena encontrar coragem para enfrentar tais perigos, além de seus próprios demônios, e fazer a escolha mais difícil da sua vida.
 

Finalmente, meus queridos, as coisas começam a se tornar verdadeiramente interessantes nessa série. As reviravoltas no final de Coroa da meia-noite nos deixaram de queixo caído e nos trouxeram até aqui para mais e mais aventuras e emoções. E novamente indico que não siga com a leitura caso não conheça a série e não queira receber spoilers de seus volumes antecessores.

 
Após Chaol descobrir sobre a herança e a verdadeira identidade de Celaena e, buscando sua proteção, convencer o rei de Adarlan a enviá-la para Wendlyn, embarcamos com ela em direção ao outro continente onde seu passado e seu futuro serão confrontados.
Mesmo abalada pelos últimos acontecimentos, ela está determinada a encontrar uma forma de cumprir sua promessa à Nehemia e isso a leva até sua tia Maeve, a rainha dos feéricos, e assim passa seus dias treinando com Rowan, um dos guerreiros de maior confiança de Maeve até ser digna de entrar em seu reino.

“Era a herdeira das cinzas e do fogo, e não se curvaria para ninguém.”

 
Rowan é um personagem tão destoante, com uma personalidade tão fria e fechada, que torna inevitável se desagradar com ele logo de cara. Com um passado marcado por dores e perdas, assim como o de Celaena, ele não pegará nem um pouco leve com a nossa protagonista. O relacionamento dos dois é difícil de acompanhar, pois parecem competir para quem é mais miserável e cruel. O que é bem doloroso, diga-se de passagem.

Enquanto em Forte da Fenda, capital do reino de Adarlan, vemos Dorian tentando lidar com seus poderes recém-descobertos e com um Chaol divido entre o que considera ser correto pelo reino e os seus sentimentos por Celaena e Dorian.

“Quando Celaena voltasse, quando retornasse como jurara que faria… Então começariam a mudar o mundo juntos.”

 
A narrativa se divide alternando os capítulos entre destacar Celaena, Dorian, Chaol e novos personagens, uma bruxa “Dentes de Ferro” chamada Manon e o general Aedion, o “Lobo do Norte”.

Aedion é um general do rei de Adarlan, que chega a Forte da Fenda após ser convocado, e suas atitudes deixam Chaol inquieto e preocupado, principalmente por sua similaridade com Celaena. A interação dos dois é uma das partes mais enigmáticas da trama, pois o novo personagem carrega segredos demais e confunde com suas ações.

Já Manon é uma bruxa sangue frio cujo objetivo de vida é caçar e destruir a outra linhagem de bruxas existente, as “Crochans”, por causa de uma maldição que as proíbe de retornar para sua terra nos desertos. Em nosso primeiro contato com ela, somos apresentados ao reino das bruxas e seus clãs, bem como seus objetivos sórdidos. Seu caminho se cruza com o dos demais personagens quando o rei de Adarlan decide convocá-las para espalhar o caos pelo continente — ou melhor dizendo, pelo mundo.

 
Sarah capricha na ação neste volume, desenvolvendo sua história a um nível superior e sólido. Seu enredo se mostra cada vez mais vasto e complexo, dando finalmente forma ao contexto da série, revelando de forma chocante tantos objetivos e mistérios. Assim como também trabalha no amadurecimento e a força dos personagens de forma preciosa, com muito esmero, dando sentido a muitas coisas de seus passados e criando os caminhos para os seus futuros. Os personagens secundários também são importantes para esses desenvolvimentos e suas interações são muito bem trabalhadas, trazendo as guinadas necessárias à trama.

É inevitável sofrer junto a eles, é inevitável ansiar que Celaena volte para Adarlan e consiga conquistar seus objetivos e que seus amigos sobrevivam até lá. E saber que a história consegue ir ainda mais além disso, expandindo o número de personagens centrais sem perder o foco, é de tirar o fôlego de qualquer leitor.

O final novamente nos desespera, bem profundamente desta vez, fazendo-nos ansiar por mais. Certamente é um dos livros mais emocionantes e surpreendentes e minha expectativa subiu após a sua leitura.
Espero que a sequência seja mantida com qualidade e nos guie com chave de ouro até o seu final.

Até a próxima resenha, beijos!

2 Comentários

  • É muito bom ver você realmente empolgada com o livro, desesperada para saber o final. Pois nada melhor do que um livro envolvente, não é mesmo? Estou adorando saber um pouco mais sobre a série, apesar de não pretender lê-la. Beijos.

  • Oi May! Que bom saber que no terceiro volume autora mantém a qualidade da série e se pode notar um amadurecimento dos personagens. Também me agradam personagens como Rowan, daqueles de quem tomamos birra logo no início da leitura. Acho que o final sofrido fecha o volume com chave de ouro! Beijos! Karla Samira