geek category image z category image

Geek side: CardCaptor Sakura [Clear Card]

12 março 2018
Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Estou aqui hoje para falar de algo lindo, mágico e principalmente: nostálgico.
Em dezembro de 2016, a CLAMP nos presenteou com uma sequência direta de CardCaptor Sakura, – seu trabalho mais conhecido nas terras tupiniquins. Essa sequência tem o nome de CardCaptor Sakura Clear Card-hen ou Clear Card Arc ou simplesmente Clear Card.

CardCaptor Sakura foi aquela animação que contagiou e fez parte da infância e adolescência de muita gente e muitas dessas pessoas hoje já são adultas, mas… por quê não acompanhar sua nova história e relembrar os bons e nostálgicos momentos?!
Ao meu ver é impossível conter a alegria de poder ter, mesmo após 16 anos, essa continuação!

Mas fica a dúvida: Do que se trata essa continuação? Confiram na sinopse abaixo!

Sinopse de Clear Card:
Sakura conseguiu capturar todas as Cartas Clow e impedir o grande desastre de vir ao mundo. Logo após isso, foi capaz de transformar todas as cartas em Cartas Sakura com o seu próprio poder e a ajuda de seus amigos.
E, então, a primavera chegou. Com as flores desabrochando, Sakura está para começar o ensino secundário. Seu amado Syaoran voltou de Hong Kong e Sakura estava animada por ir à escola com ele mais uma vez.
Porém… Em uma noite, após um sonho estranho, algo acontece às suas cartas e, ainda por cima, coisas estranhas voltam a acontecer em Tomoeda.
Guiada pela chave que encontrou em um novo sonho, Sakura mais uma vez começa a coletar cartas. E é então que uma nova garota se transfere para a sua sala…

A história começa apaixonante com o reencontro de Sakura e Syaoran em Tomoeda, até que ela tem um sonho muito estranho em que um ser encapuzado transforma todas as suas cartas em Cartas Transparentes (daí vem o nome do título da nova série). Preocupada com as cartas, Sakura busca apoio em seus amigos e guardiões e enquanto tenta descobrir o que está acontecendo, novas cartas aparecem e começam a causar confusão novamente na cidade.

Tanto o anime quanto o mangá ainda estão em desenvolvimento, então vou evitar dar muitos spoilers aqui e focar mais nos elementos e objetivo da trama.

Inicialmente eu pensei em acrescentar aqui uma explicação resumida sobre o Universo de histórias criadas pela CLAMP e como todas elas, sem exceção, estão entrelaçadas até chegar em CardCaptor Sakura… mas acabou ficando enorme e cansativo, porque é impossível resumir!
Então, fiz um post dedicado ao Universo CLAMP que vocês podem conferir aqui caso queiram.

 
Caso não desejem ler o textão da explicação do Universo CLAMP e seus vários mundos e linhas temporais, o que vocês precisam saber é:
  • O mago Clow desejou que sua amiga, a feiticeira Yuuko – de xxxHolic – que havia acabado de falecer não morresse e esse desejo desencadeou todos os acontecimentos principais posteriores do Universo como, por exemplo, a sua vontade de não ser o mago mais poderoso e com isso se dividir em dois Eriol Hiiragizawa e Fujitaka Kinomoto, dividindo o poder e o controle sobre as cartas e guardiões.
  • Existem várias dimensões dentro do Universo e é possível que a “mesma” pessoa exista em várias dimensões com situações de vida completamente diferentes.
  • Graças a necessidade de impedir que o “alter ego” de Clow, chamado Fei-Wong destruísse vidas para poder ressuscitar verdadeiramente Yuuko, em algum momento na linha temporal a Sakura Kinomoto, de CardCaptor Sakura, entrega seu báculo para Sakura Li, do mundo de As guerreiras mágicas de Rayearth.

 

O que podemos esperar desta nova trama tendo em mente tudo o que eu disse anteriormente e que o público alvo de Sakura hoje já está mais maduro?

O arco é para ser nostálgico sim, ter a Tomoyo “stalker” causando e sendo sem noção de alívio cômico sim, ter mais Sakura e Syaoran juntos e se deliciar com o amorzinho tímido dos dois sim.

 

Mas provavelmente se estenderá até chegar ao momento em que Sakura entrega seu báculo, como foi mostrado em xxxHolic. Não tenho certeza se este arco levará até este ponto da cronologia, mas se levar, mostrará lindamente a outra ponta da teia e unirá definitivamente o universo.

Isso sem falar nos gráficos da animação que estão mais bonitos e com cores mais vivas, aproximando das cores originais do mangá e tirando a “opacidade” da animação anterior – acredito que devido a época em que foi lançado. Tá tudo lindo, minha gente!

Este novo arco tem um vilão com um objetivo – mostrado até agora somente no mangá -, que está usando Sakura para conseguir as novas cartas e assim conseguir o que quer.
A razão dele querer realizar este feito ainda é desconhecida, apesar de a narrativa ir dando indícios e ao que eu vi até agora, seu objetivo é “provar-se poderoso”. Porém, acredito que suas razões vão muito além disso e são carregadas de pura maldade.
Resta saber se ele tem alguma relação com Fei-Wong ou não e se novamente o destino de Sakura está emaranhado diretamente nesta teia gigantesca.

O que está claro até agora analisando mangá e anime é que todos tem segredos e parecem saber o que está havendo, principalmente Eriol, Touya e até mesmo o Syaoran. E que todos eles estão deixando Sakura no escuro sobre o real perigo a ser enfrentado, alegando estarem esperando pela “hora certa”.

Então, vem chumbo grosso por aí e os fãs podem esperar muito deste arco, com certeza!
Ele está indo muito além do selo “ai ai ai Yukito” de nostalgia e só nos resta acompanhar enquanto nos esbaldamos com esta grande obra.

E vocês o que acham? Quais os seus palpites sobre o desenrolar da trama? Não deixem de comentar!

Até a próxima, beijos!

geek category image z category image

Geek side: O Universo CLAMP

12 março 2018
Oi gente! Tudo bem com vocês?
Hoje vamos falar sobre o Universo criado pela CLAMP, mas afinal, o que é a CLAMP?
CLAMP é um aclamado grupo de mangakás composto atualmente por quatro mulheres que lançou grandes trabalhos como: As Guerreiras Mágicas de Rayearth, xxxHolic, Chobits, CardCaptor Sakura, Kobato, entre outros).

Por ser um tema bem complexo para ser trabalhado, achei melhor dedicar um post exclusivamente para tentarmos entender o que se passa na cabeça das mangakás da CLAMP. E vou dizer para vocês… é bem difícil!
Sabemos nós que praticamente todas as obras da CLAMP são complexas e, apesar de parecerem infantis – como é o caso de CardCaptor Sakura (CCS) -, estão entrelaçadas. Este laço entre as obras é mais visível em Tsubasa RESERVoir CHRoNiCLE (TCR) e em xxxHolic que contam em meio a sua trama, todo o relacionamento do universo.

Podemos dizer que o universo da CLAMP segue duas principais linhas temporais que acontecem em tempos diferentes mas ao mesmo tempo estão acontecendo em paralelo… e por quê?
A razão é que tudo gira em torno da feiticeira Yuuko, de xxxHolic, e das “Asas”, ou Tsubasas – no original. 
As Asas são os verdadeiros Sakura e Syaoran de todo o universo CLAMP.  Daí vem o nome da obra “Tsubasa Reservoir Chronicle” ou “As crônicas do depósito de asas” em tradução livre. 
O principal do Universo pode ser resumido nesta imagem, e o restante do universo gira em torno deste arco principal, mas como ela é complicada de entender sozinha, abaixo eu explicarei tudo com detalhes em um mega textão (rs):

~~ ALERTA DE TEXTÃO! rsrs. ~~

Yuuko faleceu e o mago Clow Reed, poderosíssimo mago e dono anterior das cartas de Sakura, desejou que sua amiga não morresse e com isso a condenou, sem querer, a uma vida com o tempo congelado.
Entristecido por ser tão poderoso e pelo mal que fez a sua grande amiga, Clow decide simular sua própria morte aos seus guardiões, lacrá-los no livro de Cartas e se dividir, afim de mitigar seus poderes. Assim ele se torna Eriol e Fujitaka na dimensão de CardCaptor, tendo Eriol Hiiragizawa herdado a maior parte consciente dos poderes do mago e Fujitaka Kinomoto (pai de Sakura) o livro e poderes não perceptíveis mas que podem ser herdados por seus descendentes – e por isso Sakura Kinomoto e Touya Kinomoto tem poderes e por isso Sakura é a escolhida como herdeira de Clow e mestre das cartas e dos guardiões. – Gerando o início da trama de CardCaptor Sakura.
Fei-Wong Reed é um mago poderoso que nasceu do desejo de Clow, como uma espécie de alter ego, então ele parte para outra dimensão, onde ele pode roubar os poderes da verdadeira Sakura para se tornar o mago mais poderoso de todos e assim ressuscitar verdadeiramente a Yuuko. – Gerando o início de Tsubasa Reservoir Chronicle.
Desde o princípio é explicado que há várias dimensões e que as “mesmas pessoas” podem estar nelas com cenários de vida completamente diferentes.
O verdadeiro Syaoran (Tsubasa Li) foi enviado por sua mãe ao Reino de Clow, mundo da verdadeira Sakura (Princesa Tsubasa), pois a mãe teve um sonho dizendo que ele era necessário lá. O preço pago para a viagem dimensional foi um báculo mágico (sim, é o que você está pensando… mas calma, já chego lá!).
Wong captura a verdadeira Sakura, Princesa Tsubasa, no dia do seu aniversário de 7 anos, colocando nela a maldição da morte e Syaoran não consegue salvá-la. Anos depois, em seu 14º aniversário, a maldição é ativada e ela irá morrer, pois Wong deseja seu poder para alcançar seu objetivo. Tsubasa Li, se arrepende por não ter feito nada e deseja voltar no tempo para impedir este acontecimento.
O desejo de Tsubasa Li, porém, cria um ciclo sem fim do tempo, um “looping infinito”, pois ele nunca consegue salvar a princesa. 
Então, seus pais – Syaoran Li e Sakura Li, de As guerreiras mágicas de Rayearth -, sacrificam-se também para encerrar esse ciclo e permitir que o tempo volte a andar em uma linha paralela alternativa, criando uma linha do tempo que deixa de acontecer junto da original, de Sakura Kinomoto. O preço deste sacrifício, é que eles são separados um do outro e confinados, impedidos de viver o tão sonhado amor. 
Wong tenta clonar o corpo e a alma da princesa Tsubasa para obter seu poder e com isso, o corpo original da princesa é perdido, restando apenas a clone Princesa Sakura. 
E devido ao desejo de Tsubasa Li, ele se torna prisioneiro de Wong e como ele originalmente é de outra dimensão, paga o preço não podendo mais retornar e ver seus pais e perdendo todo o tempo que vivera até então e para preencher o seu “buraco existencial” em seu universo, a existência de Watanuki nasce. – Gerando o início de xxxHolic.  
Wong cria um clone do corpo de Tsubasa Li, que é nomeado Syaoran, e coloca nele apenas parte da alma do original, mantendo nele inicialmente apenas o desejo de estar perto de Sakura e de ajudá-la… E assim as duas histórias vão acontecendo em paralelo como um Crossover com o objetivo de unir todas as penas de Sakura e salvá-la, com Yuuko e Watanuki enviando-os pelas várias dimensões. Até que o verdadeiro Syaoran consegue se libertar e eles partem para a batalha a fim de resgatar o corpo e alma da verdadeira Sakura e derrotar Fei-Wong, tendo a morte dos clones no desenrolar da trama. 
Yuuko e Clow então desejam que seus tempos voltem a andar, consumando assim as suas mortes, em troca de que os clones possam renascer em alguma dimensão na linha do tempo para poderem viver seu verdadeiro amor. Fazendo-os renascer em As guerreiras Mágicas de Rayearth, como Sakura Li e Syaoran Li muito antes dos acontecimentos listados até então, e é neste momento que nos é revelado que eles são os pais do verdadeiro Syaoran e que o nome do garoto é Tsubasa Li. (E eu já estava chamando ele assim desde o princípio porque tem muito Syaoran e Sakura nesse negócio, rsrs).
Ao final dos eventos de TCR, com a verdadeira Princesa Tsubasa de volta, sã e salva, mesmo com as distorções e bifurcações nas linhas temporais, o Tsubasa Li parte em viagem pelas dimensões com o objetivo de algum dia encontrar seus pais. 
– E onde CardCaptor Sakura entra nisso tudo?
Foi Sakura Kinomoto que entregou seu báculo para Sakura Li de Rayearth, em um sonho, para que ela possa pagar o preço de enviar seu filho ao Reino de Clow. 
Nos fazendo entender que o universo já está com as distorções temporais e que o universo não segue uma linha cronológica única, pois a Sakura Li já estava reencarnada e enviou seu filho antes mesmo de a Princesa ter sido clonada. 
– O Tsubasa Li é filho do seu próprio clone. É… o quê? rsrs. Confuso, não? Mas é isso aí mesmo. rsrs.
Claro que o universo ainda vai além disso e que quase todas as outras obras se entrelaçam de alguma forma, tornando o todo ainda mais complexo, mas todo o resto existe porque estas duas obras existem, mesmo que tenha sido lançado antes.
Resumindo: As mulheres da CLAMP piram na batatinha e criaram uma teia de aranha monstruosa com universos, dimensões e linhas temporais paralelas e alternativas, rsrs. Porque se até eu me confundi toda para entender isso e poder escrever, imagina só lendo?!
Maaas, é isso que torna tudo tão interessante, não é mesmo? Histórias rasas não conseguem prender nações por tantas décadas. 🙂
Fontes de pesquisa do Universo CLAMP aqui.
Agradecimento especial ao Caio Kapps (a.k.a. namorado) que montou a imagem com o resumo do Universo para mim, a original estava em inglês e com baixa qualidade.

Vocês já conheciam o Universo? O que acharam? Vamos conversar, deixem seu comentário! 🙂
Beijos. 
geek category image

Geek side: Ano Hana

27 junho 2017
Olá apreciadores da Lua, tudo bem com vocês?
Estou bem atrapalhada por causa da loucura que minha vida se tornou por causa do meu trabalho, mas estou tentando manter o ritmo e segurar as pontas! Estou devendo para vocês os posts com os lugares legais que eu conheci de maio pra cá e também as resenhas das parcerias firmadas aqui pelo blog, eu sei… logo eu postarei tudo, prometo! (yn)
Hoje estou aqui furando a fila de tudo que estou devendo para falar de um anime que eu assisti sábado passado e simplesmente adorei! – E acabo estreando nossa nova categoria “Geek” com um título que realmente merece essa honra.
PRECISAMOS FALAR SOBRE ANO HANA! 
Ano Hi Mita Hana no Namae o Bokutachi wa Mada Shiranai (saúde), popularmente conhecido como Ano Hana, é uma animação japonesa, produzida e exibida em 2011, do gênero drama/slice of life. O palavreado todo do nome do anime significa “Ainda não sabemos o nome da flor que vimos naquele dia”. 
É uma história conhecidíssima entre os apreciadores de animes e mangás e eu confesso que demorei tanto tempo para assistir porque eu sou uma chorona e acreditava que iria desidratar de tanto chorar após assistir. A determinação de assistir me veio após tanto ouvir a música de encerramento do anime (Secret base), que foi gravada por uma banda que eu gosto muito chamada Scandal!, então eu preparei meu lanchinho, procurei um bom fansub que tenha trabalhado na tradução do anime (e escolhi o Dollars!), estoquei vários lencinhos e falei “pronto, vamos lá!”.
O anime conta a história de um grupo de amigos que na infância, numa fatalidade, perderam uma amiga muito querida – a Menma – e carregam o trauma desta perda mesmo após muitos anos.
Devido ao acidente, eles acabam se separando e se tratam como desconhecidos por não suportarem o peso da culpa – que acreditam ser deles – do que aconteceu. Eles começam a se reaproximar muitos anos depois, graças a aparição do espírito da Menma na casa de Jinta, para tentar realizar o desejo dela que ainda a prendia ao mundo humano e a impedia de renascer/reencarnar.
Até aí temos dois grandes problemas: 
1. A Menma não se lembra qual é o desejo que queria realizar, apenas sabia que todos precisavam estar juntos novamente para que ele se realizasse.
2. Como somente o Jinta podia vê-la, os demais custaram a acreditar que era verdade tudo que ele estava dizendo sobre ela estar de volta e se machucaram ainda mais com essa reaproximação, pois começaram a reviver toda a dor do passado. 
Será que eles serão capazes de encontrar a força necessária para ajudar não só a Menma a seguir em frente, mas eles também?

Com o desenrolar da trama, as personagens vão se desenvolvendo e mostrando uma a uma o peso do acidente em suas vidas e a forma em que tentam lidar com o ocorrido e seguir em frente. Mesmo sem acreditar completamente em Jinta, eles começam a tentar descobrir qual é o desejo de Menma e tentar realizá-lo, mesmo brigando entre si e sofrendo. A partir do momento em que eles acreditaram que a Menma realmente está ali é que a história fica verdadeiramente emocionante.
Ver os sentimentos de cada um, desde os amigos até a família de Menma, e a forma em que lidam com o luto é tocante sim, mas é passada de uma forma bem encaixada e sutil – para uma história que carrega o gênero drama -. O mais bonito e o que realmente me emocionou e me fez chorar foi tudo o que eles trabalharam pela amiga perdida – para realizar o desejo dela, e também o trabalho interno de cada um em se perdoar através do amor que Menma nutre até hoje por todos eles.
Não vou falar mais para não dar spoilers significativos.
Minhas amigas me chamaram de coração de pedra por não ter me afogado em lágrimas durante a história toda, hahaha. Mas não me entendam mal, o anime é emocionante… eu não chorei porque sei lá, o meu momento de vida hoje em dia talvez seja outro. 
O anime é bem produzido, tem um enredo muito bem construído e trabalhado. Até mesmo os traços de comédia colocados para aliviar a tensão do drama são bem colocados e não forçados. 
É uma das grandes obras entregues pelo estúdio A1-Pictures e talvez seja até hoje uma das que mais dê força ao nome do estúdio no quesito qualidade.

Outro ponto bem interessante é que o anime faz um monte de referências, é bem rico para quem gosta de ver essas coisas. Ele cita muitas obras e diversas vezes eu fiquei “meu Deuuuus, olha isso, não acredito”, até mesmo os locais em que a trama se passa são baseados em lugares reais. 

Curiosidade/Observação: Diferente do tradicional em que o anime é uma adaptação de um mangá, Ano Hana foi produzido primeiro como anime e devido ao seu enorme sucesso, fizeram um mangá da obra no ano seguinte.
O mangá de Ano Hana foi traduzido e lançado no Brasil em 2016 pela Editora JBC e foi feita com um capricho impressionante! Dá até vontade de chorar olhando pro marcador transparente que mostra e ao mesmo tempo não mostra a Menma. Para saber mais, clique aqui para acessar a página do mangá no site da editora. 
Conclusão: Eu super indico essa história! Sem sombra de dúvidas! 
O anime tem apenas 11 episódios de 23 minutos/cada e o mangá tem apenas 3 volumes, vale a pena conferir… mas se você for uma pessoa sentimental/sensível, não esqueça o lencinho. 🙂
Nota:
E você, já assistiu ou gostaria de assistir? O que achou? Não deixe de comentar!
Beijos.