Arquivo de 20 de fevereiro de 2019
literatura category image resenhas category image

Resenha: A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

20 fevereiro 2019
Boa noite pessoal, como estão?
Quem aqui gosta de livros polêmicos? De livros que dividem opiniões? O livro que trago a resenha hoje é exatamente assim. Teve aqueles que amaram, outros que detestaram e teve ainda pessoas como eu, que não souberam definir exatamente o que acharam desse livro logo de imediato, precisou de muitas análises para ser capaz de formar uma opinião.
Relutei um pouco para escrever essa resenha por medo de não conseguir me expressar bem ou até mesmo não conseguir passar a mensagem correta que o autor desejava, mas como algumas pessoas mostraram interesse em saber mais sobre o livro decidi me esforçar para falar um pouco dele, afinal, o pedido de nossos leitores é uma ordem!
Então, vamos ligar o f*da-se?

Título: A Sutil Arte de Ligar o F*da-se
Autor: Mark Manson
Sinopse: 

Chega de tentar buscar um sucesso que só existe na sua cabeça. Chega de se torturar para pensar positivo enquanto sua vida vai ladeira abaixo. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom de estar no fundo do poço.
Coaching, autoajuda, desenvolvimento pessoal, mentalização positiva – sem querer desprezar o valor de nada disso, a grande verdade é que às vezes nos sentimos quase sufocados diante da pressão infinita por parecermos otimistas o tempo todo. É um pecado social se deixar abater quando as coisas não vão bem. Ninguém pode fracassar simplesmente, sem aprender nada com isso. Não dá mais. É insuportável. E é aí que entra a revolucionária e sutil arte de ligar o foda-se.
Mark Manson usa toda a sua sagacidade de escritor e seu olhar crítico para propor um novo caminho rumo a uma vida melhor, mais coerente com a realidade e consciente dos nossos limites. E ele faz isso da melhor maneira. Como um verdadeiro amigo, Mark se senta ao seu lado e diz, olhando nos seus olhos: você não é tão especial. Ele conta umas piadas aqui, dá uns exemplos inusitados ali, joga umas verdades na sua cara e pronto, você já se sente muito mais alerta e capaz de enfrentar esse mundo cão.
Para os céticos e os descrentes, mas também para os amantes do gênero, enfim uma abordagem franca e inteligente que vai ajudar você a descobrir o que é realmente importante na sua vida, e f*da-se o resto. Livre-se agora da felicidade maquiada e superficial e abrace esta arte verdadeiramente transformadora.

Iniciar essa resenha está sendo um desafio para mim, afinal o livro não tem uma história específica que eu possa narrar para logo em seguida deixar minha opinião, então saibam que estou me esforçando ao máximo para não decepcioná-los rs.

Você busca um desenvolvimento pessoal em sua vida? Buscar meios de “filtrar” as prioridades? Então você está no caminho certo.
Mark Manson é um autor que descreve eventos cotidianos de forma inusitada, ele usa de uma linguagem literalmente curta e grossa que nos faz sentir uma dorzinha na consciência ao percebermos que, em diversos momentos, ele tem razão. Essa forma de escrever é ruim? No meu ponto de vista, não. É triste dizer isso, mas nossa geração (aquela que vai dos anos 1980 até os 2000) é acostumada com tudo fácil e sem críticas e é exatamente esse tipo de pessoa que Mark critica, em outras palavras, ele nos critica o tempo todo. 
Por nos acostumarmos a “sempre ter razão” nós sempre tentamos nos manter firmes, e o problema está exatamente quando nós batemos o pé e estamos completamente errados. Mas aceitamos estar errados? Não! E por isso o autor afirma: “Você não é especial” Foi duro ler essa frase e eu quase parei de ler o livro, fiquei me perguntando quem esse cara era para me “ofender”, mas a curiosidade falou mais alto e continuei o capítulo e logo em seguida entendi o que ele queria dizer:

“ Depois que a pessoa começa a achar que tudo que acontece na vida dela lhe confere ainda mais importância, é extremamente difícil livrá-la desse padrão de pensamento[…]  O arrogante forma uma bolha narcisista ao redor de si mesmo, distorcendo todo e qualquer evento para manter retroalimentação.”

Essa é a verdade, enquanto acharmos que somos totalmente especiais, melhores que outras pessoas nos tornaremos pessoas arrogantes.
O autor narra sua trajetória de vida como se fosse seu amigo íntimo que quer mostrar erros que cometeu e te impedir de fazer o mesmo e ao nos deparamos com os mais variados fatos é impossível não se identificar com pelo menos uma das situações. 
O livro busca te induzir a aceitação. A vida é fácil? Não! E tudo bem! O que precisamos é saber ver o que nos permite o crescimento, o que é realmente é prioridade em nossas vidas.

“O que determina o sucesso não é ‘De que prazer você quer desfrutar?’. A questão relevante é: ‘Qual dor você está disposto a suportar?’ O caminho da felicidade é cheio de obstáculos e humilhações.”

Por fim, o livro foi satisfatório e atendeu a proposta de estratégias inusitadas que aparentemente funcionam… e que pelo menos no meu caso vem dando certo na prática. Porém, embora o livro não seja intitulado de auto-ajuda ele é sim e não há nada de errado nisso, o autor apenas usa um método descontraído para te dar conselhos rs.
Agora, não consigo terminar e não deixar pelo menos mais um quote hihi.

“Nem sempre dá para controlar o que acontece conosco, mas sempre podemos definir nossa interpretação dos acontecimentos e nossa reação a eles.

Comentem sobre o que acharam deste livro.

Nota:

Até a próxima!
Beijos.