Arquivo de 17 de dezembro de 2018
literatura category image resenhas category image

Resenha: Almas Gêmeas

17 dezembro 2018
Boa  noite, como estão? Por aqui, vejo apenas corações. Afinal, o que mais eu iria conseguir ver ao terminar o novo lançamento de Nicholas Sparks?
Meu amor pelo Nicholas é conhecido por muitos e como boa fã comprei Almas Gêmeas logo na pré-venda. A correria da vida me impediu de ler o livro na mesma semana, mas antes tarde do que nunca, não é mesmo?
Bora conhecer?

Título: Almas Gêmeas
Autor: Nicholas Sparks
Sinopse: 

Hope Anderson está numa encruzilhada. Aos 36 anos, ela namora o mesmo homem há seis, sem perspectiva de casamento. Quando seu pai é diagnosticado com ELA, Hope resolve passar uma semana na casa de praia da família, na Carolina do Norte, para pensar nas difíceis decisões que precisa tomar em relação ao próprio futuro.
Tru Walls nasceu numa família rica no Zimbábue. Nunca esteve nos Estados Unidos, até receber uma carta de um homem que diz ser seu pai biológico, convidando-o a encontrá-lo numa casa de praia na Carolina do Norte. Intrigado ele aceita e faz a viagem.
Quando os dois estranhos se cruzam na praia, nasce entre eles uma ligação eletrizante e imediata. Nos dias que se seguem, os sentimentos que desenvolvem um pelo outro os obrigam a fazer escolhas que colocam à prova suas lealdades e reais chances de felicidade.

Peguem seus lenços de papel, preparem o leite quente — ou frio porque esse calor não tá dando, né? —, os biscoitos e vem conhecer mais uma história recheada de amor, perdas e reencontros.
Tru Walls é um homem divorciado que leva a vida como guia de Safári no Zimbábue. Embora seja de família rica, ela prefere a “tranquilidade” do turismo. Após o término de seu relacionamento, Tru se dedica a trabalhar e visitar o filho na cidade próxima. 
Ele levava uma vida aparentemente tranquila, com sofrimentos ligados a dúvidas do passado e com rotinas pré-definidas, até que ele recebe uma carta de um homem que diz ser seu pai biológico o convidando para ir a Carolina do Norte. Sem saber o que seu suposto pai pretendia após tantos anos e na tentativa de esclarecer parte de suas dúvidas, Tru embarca em uma avião que estava com caminho traçado para mudar completamente o rumo de sua história.
Ao chegar na casa onde encontraria seu pai biológico, Tru é informado que terá de aguardar uns dias, pois seu pai teve contratempos que iriam atrasar sua chegada, e com isso Tru decide caminhar pela praia e aproveitar o tempo livre. Logo no segundo dia de caminhada, ele conhece Hope, a mulher que mudará completamente sua vida.

“Foi como um maremoto de sensações e emoções, e ele de repente sentiu que todos os passos que já dera na vida tinham sido um caminho em direção a ela, como se ela fosse o seu destino final.”

Hope Anderson é uma mulher de 36 anos, frustrada com seu atual relacionamento e cheia de planos que teme não concretizar. Quando sua família decide vender a casa de praia para cobrir os gastos que a família vem contraindo devido a doença degenerativa do pai, ela decide voltar uma última vez a casa e despedir-se dela. Enquanto seus pensamentos mergulham junto as ondas do mar, Hope vislumbra um homem carregando seu cão no colo e naquele momento um calafrio percorre seu corpo. 

“Assim que ele perguntou isso, Hope sentiu um arrepio… Aquele olhar, a cadência da voz, a atitude ao mesmo tempo relaxada e cortês, alguma coisa nele fez algo vibrar dentro dela, como a corda dedilhada de um instrumento.”

Hope e Tru se aproximam ao longo dos dias e a conexão que surge entre eles é forte e inexplicável. Tru tem certeza de que sua vida não será a mesma sem Hope, já ela não sabe o que decidir para o seu futuro. Uma história de amor, amparada em encontros, perdas, amor, fé, reflexões e um leve toque de conto de fadas, que me prende a cada página como se eu nunca tivesse lido nada parecido.
Começo minha fala nessa resenha afirmando a vocês que uma opinião minha sobre um livro do Sr. Sparks nunca pode ser considerada plenamente, pois acredito que se ele escrever uma receita de miojo e colocar alguns corações e trechos com suspiros aquele se tornaria meu texto favorito. Porém, tentarei ao máximo ser imparcial e não ser repetitiva em relação ao meu amor por esse, e por todos os livros dele.
O roteiro natural do autor é: narrado em terceira pessoa, com o enredo acontecendo em uma cidade litorânea, um casal que precisa enfrentar obstáculos para permanecerem juntos, dúvidas, incertezas e uma doença grave. A receita para um livro de Nicholas Sparks está escrita acima e foi seguida a risca. Almas Gêmeas não foi uma inovação, podendo ser considerada um aperfeiçoamento de uma bela história de amor.
O prefácio é incrível, é convidativo e me fez querer desligar o celular e ler o livro até amanhecer. O epílogo não deixou a desejar, assim como o contexto da história. O que mais me envolveu no prefácio e epílogo foi a criatividade do autor, embora ele use o mesmo contexto lógico de sempre ele se infiltrou na história, o que fez ela se tornar mais real.
Como eu prometi ser imparcial, o livro deixou pequenas “falhas” que dificultam a admiração de algumas pessoas, como a falta de personagens coadjuvantes que poderiam ser inseridos com mais detalhes, enriquecendo a trama.
Mas, a obra me encantou. É uma bela história que atravessa o tempo e nos tira da zona de conforto ao perceber que é muito difícil julgar alguém. Mostra-nos que uma decisão pode impactar sua vida por anos e apenas nós podemos arcar com as consequências.
Espero que Almas Gêmeas o leve em uma viagem que o faça refletir suas escolhas e o encoraje a nunca desistir.
Nota:

Boa Leitura!
Até a próxima.