Arquivo de maio de 2018
literatura category image resenhas category image

Resenha: Enlaçados

29 maio 2018

Oi gente, tudo bem? Por aqui tudo quente, quer dizer, tudo bem.
Mais um livro nacional! E tenho que confessar que tive que lê-lo intercalando com outro, porque ô livro hot! Chegou a ser cansativo acompanhar tudo o que estava rolando. Entendeu?!kkkkkkkkk
Se você gosta de roqueiros quentes com pegada, esse é “o” livro.

Título: Enlaçados
Autora: Anne Krauze
Sinopse:
A banda Ultimate Bet está no topo da Indústria Musical, mas… este não é outro livro sobre bastidores…
É mais…
Ah, é muito mais…
Conta a história de Brian e Lilly.
Ele, um músico sensível e cobiçado.
Ela, uma artista plástica determinada e gente boa.
No auge de suas carreiras, e depois de vários desencontros e de um não-casamento desastroso, ambos acabam se metendo em uma baita confusão…
Culpa da vida, dos amigos, da bebida, não importa…
O fato é que terão que se adaptar à inusitada situação em que se meteram.
Um jogo perigoso… em que os sentimentos do casal entrarão em xeque-mate ao serem obrigados a interpretar uma farsa nada às avessas.
Juntos terão que enfrentar o descontentamento de muitos, lutar contra os rótulos, superar egos, traições, preconceitos e, acima de tudo, aprender as sutilezas do amor.
Qual será o placar?
Quem ganhará ou perderá?
A qual preço?
Um livro divertido, sensível, hot-hot e com uma história emocionante, que gruda no coração feito chiclete e que poderia ser a sua…
*** Conteúdo adulto, impróprio para menores de 18 anos.

Sabe aquele clichê que envolve um roqueiro gostoso + famoso + rico e uma mocinha pura cheia de amor pra dar? É esse livro.
Apenas de ser clichê, esse romance tem muito mais. Tem humor, uma banda super descolada, com integrantes todos lindos, talentosos e gostosos. Tem dramalhão, tem crime, tem aventura, tem momento mocinha e mocinho.
E tem sexo pra caramba. Se você não gosta desse estilo, nem comece a ler. Tem sexo o tempo todo, é só um olhar pro outro que já estão se pegando. Atração desse tipo. Chega a ser cansativo, não por ser chato, mas por ser frenético. Como disse mais acima, tive que intercalar com outros livros por causa dos “calores”. Não dá pra ler no metrô. É nesse nível.
Falando do que não é hot, esses meninos da banda tem uma irmandade sem igual. São amigos, irmãos e se apoiam incondicionalmente. E apesar de todos serem muito galinhas e promíscuos, o senso de responsabilidade é bem grande, tanto com a carreira como a vida pessoal.
Já Brian e Lilly não poderiam ser mais diferentes um do outro, mas que quando juntos, se completam de uma forma tão fofa, que dá vontade de ser igual.
O casal enfrenta problemas desde o início, e no decorrer do livro você entende a complexidade dos mesmos, e que tudo isso não é apenas por Brian ser famoso e Lilly ser a “plebéia”. Tem muito mais ali.
Sabe os questionamentos na sinopse: “Qual será o placar? Quem ganhará ou perderá? A qual preço?” Todas as respostas são dadas e você vai amar cada uma delas.
Seria bacana ter um livro para cada integrante da banda, de tão complexos e interessantes que são! Será que está nos planos da Anne?

Beijo
Boa leitura.

Nota:

literatura category image resenhas category image

Resenha: Essa noite é nossa

27 maio 2018

Oi gente, tudo bem? Tudo bem também.
Hoje vou falar de um livro que escolhi TOTALMENTE pela capa. Preciso explicar? rs

Título: Essa noite é nossa
Autora: Corinne Michaels
Sinopse:
Da autora best-seller do New York Times, Corinne Michaels surge um novo romance repleto de sensualidade.
“Não sou mulher de uma noite só. E, principalmente, não sou como aquelas mulheres que tomam uns drinks em um show e acabam na cama com o meu celebrity crush de infância, Eli Walsh.
No entanto, é exatamente nela em que me encontro.
O que uma garota deve fazer depois de cometer um erro por conta da bebida? Correr. Eu pego as minhas roupas e fujo do superstar poderoso e irresistível, melhor sexo da minha vida, o mais rápido que consigo. Seus lindos olhos verdes, seu corpo duro como rocha e seu sorriso metido não têm espaço no meu mundo. A minha vida já é complicada o suficiente.
Alguém se esqueceu de dizer isso a ele.
Eli é persistente. Abrindo caminho até o meu coração, me ganhando pelo cansaço, provando ser diferente daquilo que eu tinha imaginado e tudo que preciso. Mas quando o meu mundo é estraçalhado, ele mantém juntos os pedaços. Relutante, eu me apaixono desesperadamente por ele.
Ele me fez pensar que teríamos a eternidade . . . Eu deveria ter dado ouvidos a ele quando me disse que poderíamos ter apenas aquela noite.”

Mais uma vez, essa sinopse não dá nem um cisco do que realmente é. Você imagina que é só um romance, mas não é não.
Quando Heather, a mocinha, diz que sua vida é complicada o suficiente, ela não está brincando. Ela é cheia de problemas familiares, de relacionamentos e de auto-estima. Dizer que se envolver com um famoso é loucura, é um eufemismo.
Mas mesmo assim as coisas acontecem e você conhece tanto os problemas de Heather como o peso que Eli tem que carregar (que só é revelado lá no final).
Pense num livro chato. É esse. Heather e Eli estão na faixa dos 35-45 anos, mas seus pensamentos são tão adolescentes que cansam. O complexo com algumas coisas e medos futuros são tão juvenis quanto poderia ser num young adult.
Tirando isso, o drama que envolve o livro, ou melhor, os dramas, são reais e bem fod*. E mais uma vez, a forma como ambos lidam com eles é bem meia boca.
Eu gostaria de ter visto mais atitude, mais maturidade e menos mimimi, entende? Se não, vai entender quando ler. Será que teremos a mesma opinião?
A parte que realmente me agradou estava no final do livro, quando um grande segredo é revelado e Heather tem a melhor atitude de mulher que poderia ter. Já Eli, correu como um filhotinho. É compreensível? Sim, é. Mas não foi o que eu gostaria de ler lido.
Em resumo, é um casal adulto, beirando ou passando dos 40 anos, com dramas reais e bem pesados, mas com um jeito meio estranho de lidar com as coisas.
Se indico? Não sei ainda, mas só de ver essa capa e saber que o personagem é exatamente assim, já vale a leitura. E sabe aquela sensação de nostalgia quando você lembra da sua boyband favorita na adolescência? Tem isso também.

Beijo
Boa leitura

Nota:


literatura category image resenhas category image

Resenha: Apenas amigos

25 maio 2018

Oi gente, tudo bem? Bem por aqui também.
Esse é o terceiro livro, só esse ano, que leio com essa pegada de apenas amigos.
E posso falar? Adorei cada um deles….hehehehe
O contexto é o mesmo, mas os personagens fazem com que cada livro seja único.
É tudo clichê, mas como vocês sabem, eu amo um clichê.
E a leitura da vez é um livro que acabou de ser lançado, e essa autora é bem conhecida pelo Cretino Irresistível. Mas hoje te convido para conhecer o irlandês irresistível.

Título: Apenas amigos
Autora: Christina Lauren
Sinopse:
Holland Bakker foi salva de um ataque no metrô pelo musicista irlandês Calvin McLoughlin. Como agradecimento, Holland o apresenta a um grande diretor de musicais e o que era uma tentativa despretensiosa se transforma numa chance inimaginável, pois, antes mesmo de perceber, Calvin foi escalado para um grande musical da Broadway! Ou quase… Até admitir que seu visto de estudante expirou e ele está no país ilegalmente. Sem titubear, e com uma paixão crescente pelo rapaz que só ele ainda não percebeu, Holland se oferece para casar com o irlandês a fim de mantê-lo em Nova York. Conforme a relação dos dois se desenrola de “apenas amigos” a ”casal apaixonado”, Calvin se torna o queridinho da Broadway. No meio de tanto teatro e do gostar-sem-se-envolver, o que fará esse casal perceber que há muito amor verdadeiro em cena?


Aiiiinnn que fofo! Esse livro é muito fo-fo! Muito diferente do Cretino Irresistível que li há tempos atrás.
Calvin é o típico cara “na dele”. Será isso coisa de artista? Não sei. O importante é que ele sabe o que quer e há anos vem tentando concretizar seu sonho.
Já Holland ainda não se encontrou, mesmo tendo 25 anos. Trabalha no teatro fazendo um trabalho chinfrim, que conseguiu através do marido influente de seu tio. Ela fez faculdade, mestrado, mas mesmo assim tem um bloqueio de escrita gigantesco.
O encontro, aliás, o primeiro contato entre Calvin e Holland é simples e casual, mas tão fofo que dá vontade de apertar!
E então as coisas vão de desenrolando, como diz na sinopse. Os sentimentos vão aflorando (na caso de Holland, aflorando mais) e as coisas acabam se misturando também. O que era um gesto de compaixão, acaba se tornando num caos de sentimentos.
Muitas coisas fofas acontecem que dão aquela vontade de suspirar o tempo todo. Já falei que é muito fofo??
Apesar de achar Holland um pouco imatura, é bem bonito de ver quando, para ela, tudo muda.
É o tipo de livro que não devemos escrever muito sobre, para não soltar spoilers sem querer. Então minha resenha acaba aqui, com uma indicação pra lá de linda!

Beijo
Boa leitura

Nota: