Arquivo de março de 2018
literatura category image resenhas category image

Resenha: O garoto que tinha asas

22 março 2018

Título: O garoto que tinha asas
Autora: Raiza Varella
Sinopse:

Depois do conto de fadas protagonizado por Bárbara e Ian em O Garoto dos Olhos Azuis chegou a hora de conhecermos a história de outro casal encantado. Augusto Bittencourt, vulgo Monstro, é um renomado médico, dono de uma carreira sólida e do hábito de dispensar uma mulher atrás da outra sem piedade. Nunca se apaixonou e não acredita que um dia irá encontrar uma mulher interessante o suficiente para mudar esse fato. Mas o destino parecia pensar diferente, em uma madrugada fria ele presencia um terrível acidente de carro e conhece a garota sem nome. Uma garota que há muito tempo não sabe o que é ter um lar, se sentir segura e não precisar fugir de ninguém até que, em meio aos destroços, ela vê alguém correr em sua direção, um garoto que ela poderia jurar ter asas. Embora Augusto esteja muito longe de se parecer com um anjo, ele acaba por salvar a sua vida. Pela primeira vez, o médico de pouco humor e muito caráter terá que enfrentar e ir contra todos os seus princípios para cumprir uma promessa que não deveria ter feito e de quebra, quem sabe, se apaixonar. Em O Garoto que tinha Asas vamos descobrir se o príncipe encantado realmente vem montado em um cavalo branco ou se sua cor é o que menos importa em meio a uma singela releitura de A Bela e a Fera.

Olá pessoal, tudo bem?
Acabei de finalizar a Trilogia Encantados e estou muitíssimo encantada, como é o proposto pelas obras. Por isso, estou trazendo hoje a resenha do seu segundo livro: O garoto que tinha asas.
O primeiro livro foi livro e resenhado pelo Projeto Quatro por 4 e de cara eu me apaixonei. Eu adoro histórias românticas com um “quê” de conto de fadas. 

E eu recomendo fortemente que você não prossiga com a leitura desta resenha caso não tenha lido O garoto dos olhos azuis. Não que eu vá lotar aqui de spoilers, mas é que as histórias são sequenciais e diretamente ligadas.
Dito que eu avisei, a leitura é por sua conta e risco, vamos lá!
Eu não concordo de jeito nenhum com as sinopses que dizem que os livros são releituras, acho que serviram sim de rápida inspiração para o romance, mas as obras de Raiza têm seu brilho próprio e a sua realidade presente e marcante destoa completamente de um conto de fadas água com açúcar. 
Depois de sermos apresentados à história de Bárbara e nos deliciarmos com sua grande história ao lado de Ian, retornamos à vida da família Bittencourt sendo guiados por seu irmão Augusto, o Monstro, e pela “Garota sem nome”. 
A Garota sem nome é preocupada, misteriosa, tem manias estranhas e um senso de necessidade de sobrevivência melhor do que de muita gente na selva. Somos apresentados às suas manias logo no início e também não demoramos a perceber que ela está fugindo de algo tão pesado que a leva a agir de tais formas. 
Augusto, como sabemos, é tido como monstro por não se preocupar com sentimentalismo e não se apegar a nada, vivendo uma vida fácil através da luxúria e se dedicando exclusivamente ao seu trabalho.
  
Seus caminhos se cruzam durante a fuga da garota e Augusto, sentindo uma forte e estranha necessidade de ajudá-la porque ela se acidentou, acaba preso a uma promessa temível e sem volta que precisa ser cumprida, goste ele ou não. 

“Ele tinha asas grandes o suficiente para me esconder, para salvar a minha vida e isso bastou para que eu ao menos conseguisse respirar novamente.” 

Tal promessa mudará a sua vida e a Garota sem nome trará a ele um sentido para a vida totalmente diferente do que ele imaginava e vivera até então.
A trama deste livro, diferente do anterior, é carregada de segredos pesados e de medos. Mas mantém a fórmula de incessantes reviravoltas e principalmente de amor. 
Apesar de eu ainda preferir o primeiro livro, este também é deveras envolvente e diversas vezes eu desejei poder bater muito em Augusto, mas o cara é legal e um tipão, apesar dos pesares. E me rendeu. 
A narrativa é em primeira pessoa e em capítulos alternados para termos a visão dos personagens da trama. 
E mesmo toda a história do livro ser cativante e te sufocar até o fim por te fazer ansiar mais e mais por ela, há pontos negativos que precisam ser colocados em pauta:
  • A autora claramente tem dificuldades em demarcar detalhes na sua narrativa, porque São Paulo de forma alguma é perto de Florianópolis, são cerca de 9 horas de viagem de carro, e ela faz com que os personagens viagem de uma cidade a outra como se fossem dentro do mesmo estado. Percebi isso no primeiro livro e é algo que persiste até o último livro da trilogia, infelizmente. 
  • Novamente encontramos erros de digitação que não foram bem revisados antes da publicação do livro, lembrando que os li em e-book e não a edição publicada pela Pandorga.
  • As crianças do livro, em especial a Valentina, são muito pequenas nessa parte da história para terem um raciocínio tão rápido e desbocado como tem… por favor, deixe as crianças serem crianças e as apresente como tal. Outra coisa estranha é que o garotinho é apresentado como tendo 3 anos e “pouco mais de 1 metro de altura”, gente… é filho de um gigante essa criança?!

Por isso, senti como se a autora não tivesse se atentado aos detalhes do que estava escrevendo. 
De qualquer forma, é um romance abrasador que nos consome, não só temos o desenvolvimento do casal principal, como também podemos rever os personagens principais do primeiro livro… a história da família literalmente continua e não para no “e foram felizes para sempre” de Babi e Ian. 
Sempre bom poder ver que as características marcantes de cada personagem se mantém e ter novas diversões e dramas com eles. 
Até porque quando se trata de algo escrito pela Raiza, você realmente pode esperar muitas reviravoltas e a necessidade de ter um estoque de lencinhos. 
Nota:
E você leitor, o que acha da trilogia Encantados da Raiza Varella? Não deixe de comentar!
Se não conhece, não perca mais seu tempo, porque ela é literalmente encantadora! 😉
Boa leitura, beijos!
literatura category image resenhas category image

Resenha: O último herdeiro e a pedra anuladora

18 março 2018
Título: O último herdeiro e a pedra anuladora
Autor: Renato Lira
Sinopse:
No ano de 1732, Caio Duntis, um jovem aprendiz, descobre possuir poderes mágicos, assim como a sua linhagem. Em uma visão de guerra futura, ele vê o seu ultimo herdeiro manifestar poderes ao completar 17 anos. Alguém perverso esta vigiando essa linhagem ha muito tempo e deseja apoderar-se desses poderes. A linhagem dessa família faz parte de uma profecia, e seus membros precisarão salvar suas vidas e prepararem-se para a grande guerra que se aproxima, e ainda assim, levarem uma vida normal como outros jovens.
Oi gente, tudo bem?
Sei que estou devendo a resenha deste livro, que é de autoria do nosso parceiro Renato Lira, há um tempão, mas aqui está ela finalmente!
O livro é narrado em terceira pessoa e macro dividido em duas épocas: 1732 e 2063.
Começa em 1732 nos apresentando o objetivo da trama: proteger o tesouro que está ligado à linhagem da família de Caio e de Roberto. 
Porém, senti que essa parte da história foi muito rasa (talvez propositalmente) mas tem um ar de “surreal” para a época em que se passa e isso não foi legal, pois não consegui absorver o ambiente…
Os elementos linguísticos e forma de comunicação dos personagens em nada retratam a época. Além do contexto em que a trama vai se desenrolando, com tudo acontecendo fácil e rápido demais. Os personagens são fracos e sem carisma, talvez eu tenha pego esta conclusão pela forma atropelada em que tudo foi acontecendo.
Diversas vezes eu quis desistir da leitura por não conseguir engolir o cenário mal apresentado e os personagens chatos.
Apesar disso, nós temos a oportunidade de saber como Caio e Roberto prepararam tudo para a hora da batalha final contra o vilão Lúcio Rizis no futuro – que é onde o livro quer chegar – e também para começar a entender do que se tratam esses tesouros todos e como eles concedem os poderes aos seus portadores. 
Depois temos um salto no tempo e vamos ao ano de 2046, em que temos o nascimento de Eric, o último herdeiro do ciclo do tesouro, até chegarmos em 2063 quando seus poderes começam a se manifestar e Lúcio vai atrás dele para obter o tesouro. A propósito, caso não tenha ficado claro, Lúcio é “imortal”. 
Como se trata do futuro é até fácil nos deixar levar pela imaginação e aceitar o mundo futurístico desenhado pelo autor.
É aí, porém, que começam os maiores furos na trama… O autor quer que o mundo dele seja de um determinado jeito, tudo bem, mas ele precisa ser conciso e coerente para levar o mundo daquela forma até o fim. E conforme a trama vai se desenrolando, sem querer prolongar muito este ponto, fica claro que o autor não se ateve aos detalhes do que ele escreveu anteriormente, causando tais furos. 
O livro começou a me cativar próximo ao final, quando mais personagens relevantes foram apresentados como, por exemplo, a galera da Defesa. E quando enfim podemos entender o que de fato são os tesouros e o porquê de Lúcio estar atrás dele, alegando ter direitos.
Mas a forma da narrativa ainda fazia tudo parecer muito mais fácil do que imagino que deveria ter sido, o todo não foi muito bem apresentado.
É confuso também que o autor tenha misturado tanto misticismo com cristianismo durante a narrativa, principalmente porque os cristãos consideram esse tipo de coisa como pecado, paganismo, bruxaria e etc etc etc, mas não é tão relevante.
Na versão que recebi para leitura, em pdf, tem diversos erros de escrita e, além disso, por muitas vezes misturava-se falas de personagens diferentes, deixando-me confusa sobre quem estava falando naquele momento.
De conclusão, posso dizer que: 
  • Classifico a obra até o momento como algo no nível “sessão da tarde”, por todos os pontos apresentados. Mas, ignorando os pontos falhos, a ideia da história é legal, só precisava ser melhor desenvolvida para prender mais a atenção do leitor.
  • Sinto que o autor tem muito a amadurecer em sua escrita para conquistar mais o leitor, não deixando passar tantos furos e também contextualizar melhor sua narrativa tanto no desenvolvimento dela como também na “localização” do tempo-espaço.
  • Vale a pena a leitura porque as coisas começam a se desenrolar e ficar interessantes no final e ainda te instigam a esperar por uma continuação porque algumas coisas ficam sem resposta e geram certa curiosidade, mas o leitor precisa ter em mente que é necessário desconsiderar os detalhes para poder focar na história e não desistir. 

Obs.: O autor escreveu este livro há 10 anos apesar dele ter sido lançado somente ano passado, o que pode vir a justificar os pontos que levantei. Então, para os próximos, talvez possamos esperar mais desta história e da escrita do autor que deve ter evoluído através dos anos de prática e das críticas. 🙂

Nota:
E aí, o que achou da resenha? Já conhecia o livro? 
Deixe-me saber sua opinião, não se esqueça de comentar!
Boa leitura, beijos!
sem-categoria category image

Parceria: Day Fernandes

18 março 2018
Olá pessoal! Tudo bem com vocês?
Hoje venho anunciar a nossa nova parceria com uma autora nacional, a Day Fernandes! 😀
Estou muito feliz por termos firmado mais essa parceria neste ano, está sendo muito importante sermos notadas e saber que existem pessoas contando conosco e confiando no nosso trabalho aqui. É sempre uma grande honra poder fazer parte do mundo literário que tanto amamos e ajudar no crescimento da literatura nacional de alguma forma. 
Sem mais delongas, deixe-me apresentar a Day aos que não conhecem… Gostaria de ressaltar que ela é uma pessoa incrivelmente fofa e animada e toda a interação com ela e os demais parceiros está sendo sensacional! 

Day Fernandes

Nasceu na capital nacional do rock na década de 90 e além de escritora também é psicóloga. Apaixonada por romance, ficção científica e teorias da conspiração, a distopia “A Fortaleza: Mundo Sombrio” foi seu primeiro romance publicado. Além disso, ainda é autora dos romances fantásticos “Uma Ilha no Atlântico”, “Uma Maré de Azar!” e da comédia romântica “Os Opostos se Distraem”. Day também adora escrever contos e possui publicações em antologias diversas, nos gêneros de terror, sci-fi, suspense, romance e fantasia.

Agora vou apresentar algumas obras dela para vocês e uma surpresa exclusiva que ela preparou!

A Fortaleza: Mundo Sombrio

Sinopse:
O sangue é a única saída.
2070. A escuridão caminha lado a lado com o que restou da raça humana. Após uma guerra nuclear, a vida na superfície terrestre se extinguiu. Habitando gigantescos complexos estruturais subterrâneos, conhecidos como as Fortalezas, os sobreviventes tentam resistir à extinção. Entretanto, na Fortaleza n° 7, um império regado a sangue se ergueu.
Medo, sombras e sacrifícios fazem parte dos dias de Camille. Ainda jovem, ela herdou de seu pai a posição de liderança do grupo de rebeldes da Fortaleza n° 7. Contudo, nem mesmo os diários deixados por ele poderiam tê-la preparado para os segredos que acabaria por escavar. Durante uma missão de resgate, Camille salva a vida de um desconhecido, mudando o destino de si mesma e de toda a raça humana.
Em um mergulho profundo no coração da Fortaleza, ela descobrirá cenários de terror e mentiras. Nesse Mundo Sombrio, o fim pode vir tão rápido quanto uma batida de coração. A diferença entre viver ou morrer consiste em um único obstáculo: enfrentar as sombras dentro e fora de si.
E, claro, sobreviver.

Tema: Distopia
Ano: 2017 | Número de páginas: 312
Onde comprar: Amazon (e-book apenas).

Sob a minha pele

Sinopse:
Sou uma completa estranha, desconhecida de mim mesma. Uma mulher comum, vivendo uma vida comum. Ainda assim, desconheço minha própria identidade. Há em meu interior um mundo totalmente obscuro, construído ao longo dos anos por meio de decepções, desilusões, mágoas, temores, ressentimentos, perdas…

Decidi não mais ignorar a estranha dentro de em mim e relato aqui uma jornada, um caminho que trilhei em busca de desvendar a mim mesma.

O que eu sou? Quem eu sou? O que há sob a minha pele?

Tema: Drama psicológico
Conto: 6 capítulos
Onde comprar: Amazon (e-book apenas).

Visões noturnas

Sinopse:
“Quando se é marcado pelo Mal, você deixa de temer a morte. Estar vivo é mais aterrorizante.”

Basta que o sol se ponha para que Melissa Garcia sinta seus ossos tremerem. A garota de apenas dezenove anos acabou de enterrar os pais e sair de uma temporada em um hospital psiquiátrico, mas não importa onde ela vá, Ele sempre a encontra. Noite após noite.
Contudo, após Melissa encontrar a carta de um desconhecido e descobrir uma forma de enfrentar o demônio que a persegue desde a infância, dá-se início a um jogo perigoso. As apostas são altas, as chances são poucas. O Pesadelo não desistirá de possuir sua alma.

Mais feroz. Mais perigoso. Mais demoníaco.
Não há como escapar.
Ele virá.

Tema: Terror
Conto: 3 capítulos
Onde comprar: Amazon (e-book apenas).

Os opostos se distraem

Sinopse:
A vida de Amanda nunca foi um mar de rosas. Aos 27 anos, recém-formada em jornalismo e atuando como blogueira na região sul do Brasil, ela recebe o convite de casamento da melhor amiga de infância e com ele, a oportunidade de resgatar amizades e memórias do passado.

O que Amanda nem imagina é que durante essa viagem, além de reencontrar as pessoas que foi forçada a deixar para trás, terá a chance de viver uma história de amor. E confusão!



Tema:
Comédia romântica
Conto: 5 capítulos
Onde comprar: Amazon (e-book apenas).


Interessantes, não? Eu particularmente me interessei bastante pelo conto de comédia romântica e pelo livro distópico, então vocês podem esperar por resenhas em breve! 😀

Agora vamos à surpresa (!!!):
Para quem nos segue no Facebook não é tão surpresa assim, mas, exclusivamente neste final de semana, todos os livros que eu divulguei acima estão disponíveis gratuitamente na Amazon! Legal, não é?!

Eu já baixei todos, então, não perca a oportunidade também de conhecer o trabalho de mais um nome nacional! E não se esqueça, é só neste final de semana! 😀

Beijos, até a próxima!