Arquivo de agosto de 2017
literatura category image resenhas category image

Resenha: Nossa música

21 agosto 2017
Oi gente, tudo bem? Por aqui, tudo perfeito.
Como falamos no post de aniversário, a resenha de hoje é uma leitura conjunta do livro mais votado na enquete de aniversário. Aqui, vamos deixar nossas resenhas individuais, e gostaríamos de saber também a opinião de quem já leu.
Vamos lá?

Título: Nossa música
Autor: Dani Atkins
Sinopse:

Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte.
Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam.
Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.

Análise da Flá:
Quando esse livro foi lançado fiquei em dúvida se ia lê-lo ou não. E vou dizer por que. O primeiro livro de Dani Atkins, “A história de nós dois” me conquistou de tal maneira que não via a hora de ler o livro seguinte dela. E aí quando li “Uma curva no tempo” me decepcionei tanto que não queria ler mais nada dessa autora. Eu poderia ter passado sem ler Uma curva no tempo (por causa do final, que me deixou maluca).
E então, como desafio, colocamos na lista para votação de leitura de aniversário. E eis que, como o escolhido, venho falar dele.
Dani Atkins que surpreendeu novamente com esse livro! Me apaixonei ao ponto de não conseguir mais parar de ler, de querer ver um filme sobre ele, de querer saber mais sobre os personagens e suas vidas.
Tudo começa quando Ally e Charlotte se encontram depois de anos, em péssimas circunstâncias. Elas se encontram no hospital, com seus maridos correndo risco de morte. A narrativa é intercalada entre as duas, e vários capítulos são sobre os acontecimentos do passado, e é a forma que a história delas se entrelaçam.
No passado, era Ally e David, atual marido de Charlotte. Charlote não tinha ninguém, nem Joe, atual marido de Ally. Mas as coisas mudam de tal maneira e em tal velocidade, que agora são Ally e Joe e Charlotte e David. E tudo se encaixa.
Fiquei boa parte da leitura tentando entender como David se tornou o ex de Ally, e em que momento Charlotte aparece na história. E para falar a verdade, a surpresa nem é tão surpresa assim.
A surpresa, as surpresas na verdade, acontecem do meio para o fim do livro. E pelamor! Segura coração. É nessa parte que Joe se torna meu favorito do mundo, por todos os motivos.
Chega um momento, perto do final, que você não quer saber o que vai acontecer mais naquele hospital, quer guardar os personagens na memória da forma como eram ou viviam, porque nada te prepara para o fim.
Ao ler esse livro, eu ri, chorei, me apaixonei, sofri, mas leria tudo de novo. Porque a lição de amizade, família e responsabilidade é imensurável.
Análise da May:
Nunca havia lido nada desta autora e esperava um dramalhão cheio de ressentimentos e amargura quando iniciei a leitura. A história é bem escrita e envolvente, porém é muito previsível, você já imagina muito do que está por vir. Peguei uma birra imensa por alguns personagens e o final deixa a desejar para aqueles que tem a esperança de que o que é justo, correto e bom “vença” de certa forma. Em compensação, há personagens pelos quais a gente consegue torcer e que cativam, que convencem e nos deixam ansiando pelo final e quando ele chega, decepciona um pouco. Durante a leitura criei um pouco de esperança e esperando por um milagre que mudasse o rumo da história, mas a previsibilidade venceu. Tentar falar mais ou explicar melhor pode acarretar muitos spoilers e eu não quero fazer isso, rsrs.
Apesar disso, o livro consegue nos prender, nos encantar e até mesmo abalar… não é uma leitura perdida porque ela nos ensina muito sobre amizade e família e toda a lição é muito válida. 

Análise da Carla:

Ah, que história! Primeiro livro da autora que leio e já tô querendo muito conhecer os outros (ou talvez não.. talvez eu deva ficar com essas lembranças para não me arrepender, ainda preciso descobrir rs).
A maneira como a autora aborda questões sobre família/amizade é de te fazer transbordar, é impossível não se sentir pelo menos um pouquinho abalada.
Os capítulos intercalados permitem uma visão mais ampla de tudo, e conforme as histórias vão se interligando e o livro vai chegando ao fim, você vai ansiando pelo desfecho e ao mesmo tempo querendo evitá-lo.
Mas, bem, não tem como. E ainda não consegui decidir se gostei ou não desse final. Porém, me apaixonei pelo contexto, pelas personagens, pelas mensagens e tudo mais nesse livro.
E aí, gostaram? Dividam conosco suas impressões sobre Nossa Música.
E obrigada a todos que participaram! Em breve tem mais!
Beijos!
quatro-por-4 category image z category image

Quatro por 4: Não fale com estranhos

20 agosto 2017
Olá pessoal, tudo bem com vocês?
Estou aqui trazendo mais uma resenha do Projeto Quatro por 4 e, desta vez, as sugestões dadas foram minhas e o livro quer eu secretamente mais queria ler acabou sendo o escolhido, rsrs.
As meninas costumam dizer que eu só sugiro livros de fantasia, mas vejam só a surpresa para este mês:

Título: Não fale com estranhos
Autor: Harlan Coben
Tema central: Mistério
Sinopse:

O estranho aparece do nada e, com poucas palavras, destrói o mundo de Adam Price. Sua identidade é desconhecida. Suas motivações são obscuras. Mas suas revelações são dolorosamente incontestáveis.
Adam levava uma vida dos sonhos ao lado da esposa, Corinne, e dos dois filhos. Quando o estranho o aborda para contar um segredo estarrecedor sobre sua esposa, ele percebe a fragilidade do sonho que construiu: teria sido tudo uma grande mentira?
Assombrado pela dúvida, Adam decide confrontar Corinne, e a imagem de perfeição que criou em torno dela começa a ruir. Ao investigar a história por conta própria, acaba se envolvendo num universo sombrio repleto de mentiras, chantagens e assassinatos.
Intrigante e perturbador, Não Fale Com Estranhos é mais que um suspense de tirar o fôlego. É uma reflexão sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado, os segredos, as mentiras e suas consequências devastadoras.
Vamos lá saber a opinião de todos?! 

Análise da Camila, do blog A Bookaholic Girl:

Como falar de um livro do Harlan Coben sem dar nenhum spoiler? Tarefa quase impossível! Eu adoro a escrita e o estilo do autor, e apesar da quantidade de livros que já li, fui totalmente surpreendida com o desfecho de “Não fale com estranhos”. Os elementos da narrativa favoreceram a muita tensão, adrenalina e suspense ao longo da leitura, me fazendo devorar o livro. Numa espécie de quebra-cabeça em que aparentemente nenhuma peça faz sentido, a história leva a uma reflexão sobre a (não) segurança e anonimidade na internet, confiança e segredos, revelando uma frieza que eu jamais tinha visto nos trabalhos do autor. O livro se tornou uma das minhas leituras preferidos do ano, e sem sombra de dúvidas, maior admiração à genialidade do “mestre das noites em claro”. Super recomendo!

Análise da Bia, do blog Books and Birds:

Foi a primeira vez que li um livro do Harlan e já posso adiantar que foi uma experiência bem impactante!
Em “Não Fale com Estranhos” somos embalados por uma narrativa onde o foco principal são os segredos que as pessoas escondem ou pelo menos é o que tentam fazer. São abordados algumas situações envolvendo personagens diferentes e seus respectivos segredos que em um determinado momento são entrelaçados. Um enredo fluido que envolve o leitor desde o começo e o faz querer chegar ao desfecho rapidamente para encontrar a solução acerca do mistério principal.
Apesar de ter sido difícil aceitar o desfecho, eu gostei da história! A escrita do Harlan é muito cativante, o suspense abordado em sua obra ao mesmo tempo que deixa o leitor assustado, também o deixa intrigado e curioso!

Análise da Geo, do blog Inícios Marcantes:

Quando acabei o livro, fiquei pensando: Cara, o que um segredo não faz com as pessoas hein? A medida que ia lendo o livro, fui ficando cada vez mais empolgada, o Harlan escreve muito bem! Todo final de capítulo me deixava mais ansiosa para saber como ia acabar a história. No começo pensei que ia ficar meio perdida, porque cada vez mais apareciam novos personagens, mas depois tudo meio que se conectou e nos levou para um final que foi maravilhoso, mas que não me surpreendeu muito, por que eu fui criando teorias e acabou que uma delas estava certa! Acertei em cheio ( e não fiquei feliz com isso 🙁 ). Fui na expectativa que não ia ser aquilo, que acabaria diferente, e ainda fiquei sentido que tem uma continuação por aí, não sei, posso estar enganada. Mas se existir essa continuação quero ler!

E por fim, a minha análise:
Harlan tem o dom de me prender em suas obras, sempre com um grande mistério a ser resolvido por personagens determinados a resolverem seus problemas. Seus suspenses sempre tem todas as pontas muito bem amarradas e neste livro não foi diferente. Adam, o protagonista, é abordado por um estranho que o provoca, colocando em cheque tudo que ele acreditava sobre a sua vida e sobre sua família. Em dúvida sobre a paternidade de seus filhos, ele inicia uma busca pela verdade e aí é que começa o verdadeiro desenrolar da trama. Segredos e mentiras realmente podem destruir uma estrutura, essa foi a mensagem que o livro me passou com muita clareza. E mesmo que você passe a leitura matutando e criando mil teorias, o final consegue impressionar um pouco por você não acreditar que seria aquilo. Eu prefiro ler obras narradas em primeira pessoa, mas esta ter sido em terceira deu um “a mais” para sabermos o que realmente está se passando com as personagens no contexto completo.

E aí, gostaram? Conhecem o livro? Qual a opinião de vocês, concordam com alguma de nós ou pensam diferente de todas? Não deixem de comentar!

A próxima leitura do Projeto foi sugerida pela Cah e será lida pela Flá aqui do Coelho da Lua.
Ela será:
Título: Simplesmente acontece
Autora: Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Edição: 2
Número de páginas: 448
Tema central: Romance
Até a próxima!
Acompanhem conosco e boa leitura!
sem-categoria category image

Série: Lucifer

14 agosto 2017
Oi gente, tudo bem? Por aqui tudo bem também.
Hoje vou fazer uma resenha diferente do habitual: série de tv! Então, se eu me enrolar ou ser meio vaga, por favor, me desculpem! 😉
A série em questão é Lucifer, da Netflix (claro!), que eu e meu marido devoramos em pouquíssimos dias de tão boa, portanto, é sobre ela que vou falar.
Lucifer – Netflix
98% relevante – 2016 – 1ª temporada – 13 episódios

Sinopse 
Entediado com a vida nas trevas, o Senhor do Inferno se muda para Los Angeles. Lá ele abre um piano-bar e se une a uma policial para investigar assassinatos.
Elenco: Tom Ellis, Lauren German, Rachel Harris.

O que não dizem na sinopse: Você vai de divertir muito com Lucifer Morningstar!
Lucifer é realmente o Senhor no Inferno, mas parece que ninguém acredita nele, pelo menos no início da temporada. Alguns mortais tem a chance de ficar frente a frente com o cara, em momentos em que o próprio diabo desconfia. Aliás, ele detesta que o motivo para cada coisa ruim no mundo seja atribuído a ele; o trabalho dele não tem a ver com motivação, e sim em punir os pecadores. E cada vez que o culpam, a frustração dele é hilária!
Lucifer não é um personagem naturalmente engraçado; o que o torna é a forma como ele vê a vida na terra, em como desacredita nas coisas que os humanos fazem e como lidam com sua própria vida. Ele é sarcástico, isso sim!
Lucifer começa a mudar de comportamento quando conhece a detetive Chloe Decker. Eles se conhecem por causa de um assassinato e Lucifer passa a ajuda-la na resolução de alguns crimes. Ora pressionando os envolvidos ora “adivinhando” algumas coisinhas.
E é aí que Lucifer começa a mudar seu comportamento na terra. Por influência de Chloe, mesmo ela não tendo noção disso, Lucifer começa a rever sua existência e como tem lidado com a proximidade com Chloe.
Eles trabalham constantemente juntos, e discutem muito também. o que é natural já que Lucifer não tem a mesma visão que seres mortais tem. Até que algumas pistas ligam uma série de acontecimentos a Lucifer e este precisa provar sua inocência, ou não.
Sabe essa garotinha aí em cima? É a filha da Chloe, que como outros personagens secundários fazem toda a diferença. Preste atenção em todos eles!
Assisti a 1ª temporada inteira, e o fim é muita sacanagem! A última fala te desperta uma ansiedade imensa, pois deixa bem claro o que vem a seguir. Preciso imediatamente da segunda temporada! Netflix, por favor?

Beijos!