Arquivo de 19 de março de 2017
sem-categoria category image

Filme: A Bela e a Fera – 2017

19 março 2017
Olá pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim!
Desejo uma semana incrível para todos! 🙂
Hoje estou aqui para estrear nossa nova categoria que vai falar sobre filmes e séries e por que não começar falando sobre o meu filme favorito?

Título: A Bela e a Fera (Beauty and the Beast, no original)
Diretor: Bill Condon
Gênero: Fantasia, romance, musical
Sinopse:
Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela (Emma Watson) tem o pai capturado pela Fera (Dan Stevens) e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade dele. No castelo, ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é, na verdade, um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana.

Para quem não sabe, eu sou apaixonada por tudo que a Disney cria e tenho quase todos os filmes em desenho que eles lançaram até hoje. E estou aceitando de presente os que eu não tenho ainda, haha.
E a Bela (Belle, no original) é, de longe, a minha favorita dentre as princesas da Disney e eu me identifico muito com a personagem. Seu amor pelo conhecimento e pelo desconhecido, seu jeito sonhador (mas não tolo) e o desejo de viver de uma maneira melhor e não se conformar com a forma que vive hoje. E claro, o seu amor pela leitura. 
Este filme, em questão, tem muitas versões em live-action (confesso não ter assistido nenhuma) e agora foi a vez da Disney dar vida a um dos contos de maior sucesso de sua história e, como amante do desenho lançado em 1991, eu fui conferir. 
O filme tem algumas diferenças significativas com relação ao desenho – que é da própria Disney -, como o invento do pai de Bela, o por quê dele ter sido trancafiado pela Fera, a razão de Bela ter ido atrás dele e principalmente na personalidade da Bela… existem outras também, mas são praticamente irrelevantes perto destas, porque estas alteram o contexto da obra. 
Claro, como há inúmeras versões do conto, a Disney aparentemente tentou criar uma versão que trouxesse o melhor de cada uma neste live-action, mas, com isso, se afastou um pouco da sua própria obra. Diferente do que fizeram em Cinderela, já que o desenho e o filme são fiéis em seu roteiro. E isso não necessariamente precisa ser visto como ruim, desde que tratado como uma “releitura da obra” / uma “nova versão”. Eles criaram algo “novo” unificando o que já existia em fragmentos e esse novo é bom a seu modo. 
Vejam os trailers:

A Bela de Emma Watson é uma personagem igualmente deslocada na vila onde mora, porém menos sonhadora e mais selvagem, uma mulher empoderada na antiga França. Emma aparentemente não conseguiu vestir perfeitamente o papel de princesa da Disney, dado que nunca teve a intenção de ser uma. Ela se esforça para trazer a si a doçura da personagem. Então, criou uma nova Bela para este filme e como no todo já havia diversas divergências entre as obras, a mudança acabou se encaixando bem.
Luke Evans também deu vida a um novo Gaston igualmente orgulhoso, mas muito mais sombrio e maldoso, que é completamente obcecado por poder e vê Bela como alguém para domar. 
Já Kevin Kline, deu vida a um Maurice (pai da Bela) nada abobalhado e atrapalhado, mostrando ser um personagem bem centrado, o que tira totalmente a justificativa de trancafiá-lo num hospício e ainda assim essa tentativa acontece. 
Estes três personagens por si só, movimentam as mudanças mais significativas dentro do roteiro, exceto pelas cenas não existentes que foram criadas exclusivamente para este filme. As cenas extras foram colocadas para mostrar o passado de Bela e explorar mais sobre a personalidade hostil da Fera, vivida por Dan Stevens, justificando a razão de ter sido amaldiçoado e também do amor que seus funcionários/serviçais sentem por ele.
E, acreditem, mesmo com todas essas mudanças e cenas acrescentadas, o filme é maravilhoso e lindo! 
É uma nova versão, diferente e ao mesmo tempo mais completa – eu diria – deste clássico, com o toque da magia muito bem apresentado. É encantador! Claro que, como viúva da nostalgia, eu preferia algo fiel.


Acredito que a maior dificuldade da Disney tenha sido transportar a magia ao mundo real, dando vida aos personagens objetos e, novamente, eles nos surpreendem com a maestria em que fazem isso acontecer. É o jeito Disney de encantar as pessoas mostrando todo o seu potencial, rs.
Isso sem falar na trilha sonora, que faz você se arrepiar dos pés a cabeça na sala de cinema. Eu assisti o filme na versão original (legendado) e não conhecia todas as músicas originais (algumas são diferentes da versão dublada) e nossa, como são lindas! Trazem todo o brilho de um grandioso filme musical, que também é especialidade da Disney, dentro de um conto de fadas abarrotado de magia. O resultado é algo duplamente mágico!
Eu ainda quero ver o dublado e matar a saudade das músicas que fizeram parte da minha infância. 
Confiram algumas músicas:

Quem diria que a nossa eterna Hermione seria tão boa cantora? hahaha.

E aí, o que acharam? Vocês que já assistiram ao filme, concordam ou discordam de mim?
Você que ainda não viu, espero que tenha ficado com ainda mais vontade de ver, porque vale muito a pena se deixar levar e se encantar por este incrível conto de fadas!
Não deixem de comentar! 🙂
Grande beijo!